O clima começa a esquentar na campanha salarial dos metalúrgicos do Estado de São Paulo. Em assembléia realizada ontem de manhã, os trabalhadores da General Motors (GM) de São José dos Campos rejeitaram a proposta feita pelas montadoras na semana passada e aprovaram greve caso a empresa não abrisse negociação. Na assembléia do turno da tarde, os metalúrgicos foram informados que a negociação já havia sido agendada para hoje.

A reunião será realizada na sede da GM em Santo André e terá a participação de representantes dos sindicatos dos metalúrgicos de São José e de São Caetano do Sul, onde o acordo também foi rejeitado. "A empresa tem condições de melhorar a proposta", diz Luiz Carlos Prates, secretário-geral do Sindicato de São José dos Campos.

Pela oferta das montadoras, os salários teriam aumento real de 2 5%, além da reposição da inflação, de 4,82%. O piso da categoria cuja data-base é setembro, seria reajustado em 7,73%. Os metalúrgicos de São José querem 8% de aumento real. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.