A Prefeitura de Americana, no interior de São Paulo, decretou luto oficial de três dias devido ao acidente que matou nove pessoas na noite de ontem no centro da cidade. Por volta das 23h15, um trem de carga e um ônibus municipal se chocaram. Vinte e oito passageiros estavam no coletivo. A composição tem quatro locomotivas e 77 vagões, cada um pesando 100 toneladas, e levava milho, soja e açúcar para o Porto de Santos, no litoral do Estado.

Segundo testemunhas, o motorista tentou cruzar os trilhos logo atrás de um carro, mas não teve tempo. Havia um segundo trem parado em outra linha férrea e parte do ônibus acabou esmagada entre as duas composições. O coletivo pertence à Viação VCA e fazia a última viagem do dia do trajeto a linha Mathiense – Antonio Zanaga.

Segundo Érico Henrique de Oliveira, de 19 anos, enteado do motorista, a sirene tocou quando o ônibus estava no meio da travessia e não havia ninguém na guarita da passagem. Já Juarez Correia, coordenador de operações da América Latina Logística (ALL), proprietária da composição, afirmou que o maquinista acionou corretamente o sinal sonoro e que e as luzes e o alarme da passagem funcionaram corretamente. A empresa abrirá sindicância para apurar o ocorrido.

Morreram no acidente Ailena Wolff, de 76 anos, aposentada; Benedito Matheus Golin, de 74 anos, também aposentado; os cobradores Domingos Lustre, de 53, e Juvercino Avanzi, de 59 anos; a assistente social Luzia Pereira da Silva dos Santos, 42 anos; a aposentada Neuza Tavares da Silva, de 51; Osvaldo Wolff, de 75 anos, também aposentado; e as donas de casa Pureza de Jesus Pagani, de 72 anos, e Solange Lindaura Moreira e Silva, de 37.