O presidente da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, afirmou nesta terça-feira (7) que a corregedoria da agência não será acionada para investigar a denúncia feita pelo ex-presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, contra a diretora do órgão Denise Abreu. Pereira disse que a diretora fazia tráfego de influência com o objetivo de beneficiar um amigo na transferência do movimento de cargas dos aeroportos de Congonhas em São Paulo, e Viracopos, Campinas, para o de Ribeirão Preto, no interior do Estado.

"Essa denúncia não existe porque a Anac não é responsável por licitações. Vocês pegaram a palavra de alguém que disse uma coisa como verdade e que não é", afirmou o presidente da Anac, depois de participar da solenidade de transição de cargo da presidência da Infraero, no Ministério da Defesa. Segundo Zuanazzi, a diretora já anunciou o que abrirá um processo por calúnia e difamação contra o ex-presidente da estatal.

Sobre as negociações da nova malha aérea, determinada pelo Conselho de Aviação Civil (Conac), Zuanazzi informou que essa semana a Anac começou a se reunir com as empresas aéreas individualmente depois de ter feito um encontro geral na semana passada. "Queremos cumprir o prazo de 60 dias para concluir a nova malha e se possível até antes", afirmou.