Rio de Janeiro – A maioria da população brasileira ainda não tem acesso pleno ao mundo digital. Os números mais recentes obtidos pelo Núcleo de Pesquisa, Estudos e Formação (Nupef) da organização não-governamental Rede de Informações para o Terceiro Setor (Rits), com base em pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil, indicam que apenas 20% dos brasileiros têm acesso à internet.

?Ainda é muito pouco, se a gente pensar em outros países que têm uma abrangência de acesso muito maior?, analisou a coordenadora do Nupef, Graciela Selaimen. Ela criticou o fato de que o acesso à Internet no país está muito concentrado nos grandes centros urbanos e no litoral.

?Em metade dos municípios brasileiros, para você acessar a Internet tem que fazer uma ligação interurbana. Esse é um fosso, um hiato que tem de ser superado. E o custo desse acesso para o usuário final tem que ser debatido com a sociedade de maneira bastante democrática?, sugeriu.

A coordenadora do Nupef afirmou que o estabelecimento de uma meta de inclusão digital deve ser preocupação de uma política pública nacional. Segundo indicou, o Brasil não tem uma política pública de inclusão digital consolidada.

Ela lembrou que o Brasil tem alguns exemplos, algumas experiências, algumas iniciativas de governo, organizações da sociedade civil, algumas empresas como Petrobrás e Banco do Brasil, que têm seus projetos e incorporam o tema da inclusão digital.

?Mas dizer que no Brasil existe uma política pensada, uma estratégia nacional de inclusão digital para superar esse hiato e esse nível de exclusão principalmente nas áreas rurais e nos pequenos municípios isso não existe. É uma coisa que precisa ser construída?.