Rio de Janeiro – A oito dias da abertura dos Jogos Pan-americanos as ações para garantir a segurança e a saúde da população carioca e dos cerca de 700 mil turistas esperados para o período da competição estão sendo intensificadas no Rio de Janeiro.

Cerca de 800 homens da Polícia Federal, Corpo de Bombeiros, Marinha do Brasil, Força Nacional de Segurança e Receita Federal participam nesta quinta-feira (5) de um exercício para testar o sistema de segurança do Porto do Rio de Janeiro.

O treinamento, coordenado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, faz parte do Plano Nacional de Segurança montado para os Jogos.

Uma das simulações realizadas durante a manhã foi um caso de introdução de explosivos nas instalações do porto.

De acordo com João Carlos Dantas, presidente em exercício da Comissão Nacional de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias de Navegação, a mobilização permite avaliar, entre outros aspectos, o tempo de reação e de chegada dos homens das várias forças para atender a situações de emergência, a capacidade de monitoramento interno e dos acessos da área portuária e também a eficiência do esquema de identificação de cargas, pessoas e veículos.

Segundo ele, o exercício visa a preparar os envolvidos para contornar situações de risco – como seqüestros de embarcações com turistas, introdução de explosivos por grupos terroristas e ataques a navios de carga brasileiros e estrangeiros – não só durante o Pan, mas permanentemente.

?Nós vamos testar a capacitação das medidas implementadas pelo Porto no seu Plano de Segurança para que nós possamos qualificá-lo, aprimorando o que já existe não só para o Pan, mas para sempre. O exercício serve para articular as várias forças e que isso seja uma prática natural no dia-a-dia da segurança no Brasil?.

Dantas lembrou que o gerenciamento de segurança do Porto do Rio de Janeiro, assim como dos outros portos do país, vem sendo montado desde 2003, por orientação da Organização Marítima internacional, depois dos ataques terroristas que derrubaram as torres gêmeas nos Estados Unidos.

Em outro ponto da cidade, técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro participam de um treinamento para uso de equipamentos de biossegurança que serão utilizados durante os Jogos Pan-americanos, em caso de acidentes ou ataques terroristas com armas químicas ou biológicas como o Antrax (bactéria que causa pneumonia de rápida evolução e que pode levar à morte).

O treinamento é ministrado a profissionais que vão trabalhar em dois núcleos da Unidade de Respostas Rápidas a Emergências montados pela Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde que vão funcionar 24 horas por dia durante o Pan. De acordo com a secretaria, o treinamento vai permitir capacitar o estado do Rio para atuar também em outros eventos que envolvem muitos turistas, como Carnaval e Ano Novo.