Mesmo antes do fim das eleições, a agenda internacional do presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para seu eventual período de transição está congestionada. Representantes dos governos da Argentina, do México e de dois “importantes” países da Europa mantêm contatos com assessores de Lula para que possam recebê-lo, se eleito. Até o dono da Microsoft, Bill Gates, já fez convite ao candidato.

Mas, se for eleito, o petista não pretende ocupar-se das viagens, pelo menos até sua posse. Deve, no máximo, acertar um encontro com o presidente argentino, Eduardo Duhalde.

Segundo Marco Aurélio Garcia, secretário municipal da Cultura e interlocutor de Lula em contatos internacionais, as conversas com os governos estrangeiros ainda são informais.  “Tudo vai depender da forma como o Lula vai organizar a transição”, disse Garcia, referindo-se, principalmente, ao encontro na Argentina. “Se vencermos as eleições no domingo e aceitarmos todos os convites, o Lula tomará posse só em 2004”, brincou o secretário.

A eventual viagem para o país vizinho seria uma forma de o presidenciável petista demonstrar sua preocupação com o fortalecimento do Mercosul. O convite para a visita de Lula foi feito pelo governo argentino antes mesmo do primeiro turno das eleições. Desde então, a coordenação de campanha petista vem mantendo contatos regulares com a embaixada daquele país. “Será um gesto claro em relação ao Mercosul”, disse Garcia, após ter recebido o convite dos argentinos, no início de agosto.

A coordenação de campanha de Lula também espera uma aproximação com o presidente americano George W. Bush. Entre os petistas, há uma expectativa de que haja um convite formal do governo dos Estados Unidos para uma visita de Lula àquele país, caso seja eleito. Essa visita seria feita só após a eventual posse do petista. O presidente nacional do PT, deputado José Dirceu (SP), é um dos que defendem a ida de Lula aos Estados Unidos o mais rápido possível, em caso de vitória neste domingo (27).

Bill Gates

Os pedidos para encontros com Lula não se limitam aos setores governamentais. O petista recebeu um convite de Bill Gates para participar de uma reunião nos Estados Unidos com representantes das empresas Microsoft, Compac, Intel, HP, entre outras. O senador eleito Cristovam Buarque (DF), que esteve hoje em São Paulo para participar de gravações para o horário eleitoral gratuito do PT, levou o convite de Gates pessoalmente a Lula.

Ainda pelas mãos de Cristovam, o presidenciável petista ganhou um exemplar do livro A Empresa na Velocidade do Pensamento, enviado pelo dono da Microsoft. Dirceu e Cristovam também receberam exemplares do livro, assim como o convite para participar do encontro entre Lula e os empresários.

Segundo o ex-governador do Distrito Federal, a reunião com as megaempresas teria como tema central a discussão de maneiras de trazê-las para o Brasil. Para Cristovam, Lula demonstrou bastante interesse no encontro. Mas ele também ressaltou, assim como Garcia, as dificuldades da agenda do presidenciável petista no período de transição.

“Talvez ele (Lula) vá apenas para a Argentina”, comentou Cristovam, logo após deixar a produtora onde estão sendo gravados os programas de Lula para a Televisão.