Levantamento feito pela Receita Federal, a pedido do Estado, sobre a arrecadação de impostos e contribuições federais pagos por setores econômicos no primeiro semestre revela um dinamismo ainda maior da economia brasileira em 2007. Sem que tenha havido aumento de alíquotas dos tributos, as empresas dos setores de metalurgia, automóveis, seguros, telecomunicações e comércio atacadista lideraram o ranking dos setores econômicos que apresentaram maior crescimento no pagamento de impostos, com expansão entre 18,51% e 35,83%. Esses valores estão bem acima da elevação de 10% da arrecadação total da Receita Federal no primeiro semestre deste ano.

Como a arrecadação de tributos é um dos principais termômetros do desempenho do Produto Interno Bruto (PIB), os números setoriais sinalizam que o crescimento em 2007 pode ser ainda mais robusto, acima das previsões dos analistas econômicos. É que os dados por setores econômicos funcionam como uma espécie de bússola de orientação para onde caminha a economia brasileira.

Os setores que estão apresentando bom desempenho de arrecadação neste ano ou refletem diretamente o aquecimento da atividade econômica do País, caso do comércio atacadista, ou tem efeito irradiador sobre amplas áreas da economia nacional, como a indústria de automóveis. Para economistas consultados, o aumento da arrecadação de vários setores econômicos reflete, sobretudo, a elevação da oferta de crédito na economia, que faz com que muitas pessoas antecipem o consumo, levando à expansão das vendas, da produção e, conseqüentemente, dos tributos pagos pelas empresas.