Rio

– O policial militar Edmílson da Silva Carvalho, de 37 anos, se apresentou ontem à Delegacia de Homicídios, no centro do Rio de Janeiro. Segundo o delegado Bruno Gilaberte, ele confessou ter assassinado o candidato a deputado estadual Luiz Fernando Petra (PDT-RJ), na madrugada de terça-feira. O deputado foi morto próximo de sua residência, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, depois de discutir com Carvalho e mais dois cabos eleitorais que retiravam flâmulas com propaganda eleitoral.

O policial alegou ter atirado em legítima defesa e disse que a arma do crime pertencia ao candidato. Carvalho trabalhava para o candidato Evaristo de Carvalho, que concorre pela primeira vez a deputado estadual pelo PTB.