A Associação Nacional de Defesa Vegetal, que reúne empresas produtoras de agrotóxicos, reagiu à recomendação da Instituto Nacional do Câncer (Inca), divulgada nesta quarta-feira, 08, para que se adote uma “redução progressiva e sustentada” do emprego de agrotóxicos nas plantações, diante das evidências de que a exposição aos pesticidas está ligada a casos de câncer.

A associação argumenta que “todos os defensivos agrícolas autorizados para o uso em nosso País passam pelo crivo e aprovação de três ministérios”. “Levada ao extremo, a volta da lavoura arcaica – que alguns defensores tanto admiram no conforto dos seus escritórios bem refrigerados – aniquilaria a competitividade dos campos, sobretudo dos pequenos lavradores – cerca de 70%, dos cinco milhões de agricultores do país”, diz o texto.

Foi a primeira vez que o Inca se pronuncia oficialmente contra o uso de agrotóxicos. O Brasil é o maior consumidor desses produtos químicos no mundo.