Em ato de desagravo, realizado na sexta, em frente à sua casa, em Brasília, o ex-senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) disse que renunciou ao cargo porque estava sendo vítima de um "esquema" previamente preparado contra ele. "Eu não tinha outra alternativa a não ser a que tomei, porque já estava tudo preparado. O esquema estava montado. Mas eu percebi e renunciei para vir às ruas", disse.

Apesar de ter sido divulgado com antecedência, o ato não juntou mais do que 200 pessoas, apesar de Roriz ter sido governador do Distrito Federal por quatro vezes. O correligionário Rafael Moraes, exercendo o papel de animador para estimular as pessoas presentes, atribuiu a pouca presença de admiradores de Roriz no local ao custo das passagens de ônibus."O desemprego está tão grande no País, que o povo não tem dinheiro nem para vir aqui lhe der um abraço", disse ele ao ex-senador em discurso durante a manifestação.

O ex-senador pediu a seus simpatizantes que reajam sem violência ou agressão a sua renúncia. "Eu voltei para o lado o povo onde sempre estive. Voltei para a planície para ficar junto do meu povo fiel e leal. Meu coração está partido, de um lado, com a traição; mas do outro, ao dever de lutar pelo meu povo", disse. Antes de retornar para sua casa, a mulher de Roriz, Weslian, puxou a oração do Pai Nosso e da Ave Maria acompanhada pelos que estavam presentes.