Aumentou para 62% o número de operadoras de saúde avaliadas como boas em 2011, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira pela ANS (Agência Nacional de Saúde), no Rio.

Das 1.239 operadoras avaliadas, 735 alcançaram as melhores notas. O ranking com as empresas que obtiveram as notas mais baixas ou mais altas, no entanto, não foram divulgado.

Os usuários podem ter acesso ao desempenho de cada uma através do “espaço de qualidade”, lançado hoje no site da ANS.

De acordo com a agência, o resultado de 2011 é melhor do que o registrado no ano anterior. Em 2010, apenas 31% ou 482 operadoras -de 1.517 pesquisadas- ficaram nessa mesma faixa.

As 735 operadoras bem avaliadas em 2011 somam 45,7 milhões de beneficiários no país. As notas dessas empresas variaram de 0,6 a 1, sendo 0 a menor nota e 1 a maior.

A pesquisa aponta que o índice de atenção à saúde foi de 40% na formação do IDDS (Índice de Desenvolvimento da Saúde Suplementar), 20% na área econômico-financeira, 20% na satisfação dos beneficiários e 20% em estrutura e operação.

A direção da ANS afirma que elaborou a metodologia da pesquisa e distribuiu questionários para as operadoras entrevistarem os usuários por telefone. As gravações foram enviadas à agência.