A nova rodada de auxílio emergencial, que será paga neste ano, terá regras mais rígidas. O valor do benefício deve variar entre R$ 150 e R$ 375 e ser pago a apenas uma pessoa da família. Serão quatro parcelas. O custo total para o governo deve ser de até R$ 40 bilhões. As informações são dos jornais O Globo e Estadão.

VIU ESSA? Aposta de Curitiba ganha prêmio da Mega Sena 2349. Veja qual foi a lotérica da sorte!

O integrante de família composta por apenas uma pessoa vai receber R$ 150. As mulheres que são únicas provedoras de suas famílias vão receber R$ 375. Já os demais beneficiários terão direito a R$ 250. Somente uma pessoa da família poderá receber o auxílio, ao contrário da rodada de 2020, quando até dois integrantes da mesma família podiam ser contemplados.

LEIA AINDA – Empresa de São Paulo anuncia compra da Todeschini, uma das mais tradicionais marcas do Paraná

As novas regras serão publicadas em uma medida provisória (MP), a ser editada pelo governo após a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial. A PEC foi votada e aprovada em primeiro turno pelo Senado na quarta-feira (3), por  62 votos a 16. Inicialmente, o acordo com o Congresso eram para quatro parcelas de R$ 250.

No ano passado, foram cinco parcelas de R$ 600 e até quatro de R$ 300. Mães solteiras recebiam duas cotas. Segundo a Caixa Econômica Federal, 68 milhões de pessoas receberam alguma parcela. O custo para os cofres públicos do programa foi de cerca de R$ 300 bilhões.