O Ministério da Cidadania enviou nesta terça-feira (30) mensagens de celular (SMS) para 625 mil pessoas solicitando e orientando como realizar a devolução voluntária de valores recebidos indevidamente do auxílio emergencial. Este é o terceiro lote de mensagens enviado pelo governo federal. Após as duas primeiras remessas, foram devolvidos aos cofres públicos aproximadamente R$ 66,3 milhões no período de 18 de agosto a 18 de novembro.

LEIA TAMBÉM:

>> Desemprego diminui e o Paraná fica com o 5º menor índice do país

>> Nota Curitibana sorteia prêmios de R$ 50, 20 e 10 mil. Veja os bilhetes premiados!

Dentre os grupos que estão na lista de devolução se encontram beneficiários do auxílio emergencial que compõem o público que já recebe o Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família) via Cadastro Único (CadÚnico). Também serão notificados trabalhadores que declararam o Imposto de Renda Pessoa Física e foram informados para fazer a restituição do auxílio emergencial, mas ainda não efetuaram o pagamento.

Há também pessoas que receberam os recursos, mas não se enquadram nos critérios de elegibilidade do programa e outras que recebem um segundo benefício assistencial do governo federal, como aposentadoria, seguro desemprego ou Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. Quem tem vínculo empregatício na data do requerimento do auxílio emergencial também terá de ressarcir os cofres públicos.

Web Stories

Estreias da semana

Final de La Casa de Papel chega nesta sexta na Netflix, confira lista!

Saúde

Como controlar a pressão sem remédio?

Cuidado

O Cravo e a Rosa volta dia 06 de dezembro; conheça curiosidades sobre a novela

Um Lugar ao Sol

Érica aceita oferta de Santiago