A Polícia Federal prendeu 3,96 mil pessoas nas 218 operações especiais deflagradas este ano. Do total, 2,3 mil (60%) foram prisões preventivas decretadas pela Justiça.

Para o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, isso mostra que o trabalho da corporação tem sido bastante fundamentado, uma vez que é necessária a avaliação de um juiz para que a preventiva seja decretada.

A estimativa da PF é que os recursos que deixaram de ser desviados dos cofres públicos devido às operações foram superiores ao orçamento da instituição, de R$ 3,9 bilhões em 2008. De acordo com a PF, somente nas 21 operações de combate a crimes previdenciários, o total de recursos que deixaram de ser desviados foram de R$ 2 bilhões.

Esses números foram anunciados nesta quinta-feira (18) em evento, no Ministério da Justiça, que apresentou o balanço das atividades da PF e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) este ano.