Salvador

– Uma troca de bebês ocorrida há dois meses na Casa de Saúde Santana, da cidade de Feira de Santana, acabou unindo as duas famílias envolvidas: os pais serão padrinhos de Mateus e Aline, as crianças trocadas. “Foi um caso que começou ruim e acabou bem”, disse o médico Angelo Mário Carvalho e Silva, um dos diretores da Casa de Saúde Santana que pagou o exame de DNA dos dois bebês; contratou uma psicóloga para acompanhar a devolução das crianças aos pais verdadeiros, marcada para hoje pela manhã, e deve providenciar a retificação das certidões de nascimento.

Quem primeiro desconfiou do erro foi a dona de casa Agnacelma de Jesus, casada com um comerciário. Ela havia feito exames de ultrassonografia durante a gravidez que revelaram o sexo masculino do bebê. No dia do parto ela não viu o filho. Quando chegou em casa surpreendeu-se ao saber que tinha dado à luz uma menina, chamada de Aline. Como conheceu a mãe do outro bebê, Elaine Silva Alves, no mesmo hospital, decidiu procurá-la para falar da suspeita. Elaine teria ficado com o filho de Agnacelma, Mateus.