Brasília – O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, deverá continuar mais algum tempo sob a custódia da Polícia Federal. Ele deve deixar a PF em Maceió, onde está preso há 34 dias, até o dia 6, quando termina o prazo de 40 dias acertado como governo alagoano. Depois de inspecionar diversos presídios de segurança, as autoridades policiais brasileiras concluíram que nenhum deles tem condições de receber Beira-Mar.

A União tem pelo menos cinco opções para a transferência do traficante, a principal é São Paulo. Esta semana, policiais federais estiveram no Espírito Santo inspecionando a penitenciária local, mas reprovaram as instalações. “Não estavam adequadas e não daria tempo de fazer uma reforma”, disse um integrante da cúpula da área de segurança pública da União. A União selecionou Manaus, Fortaleza, Florianópolis, São Paulo e Campo Grande como opções para transferir Beira-Mar. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, resiste em recebê-lo.