O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta terça-feira (22), em entrevista coletiva à imprensa, que o governo não pretende fazer cortes nos investimentos das obras previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Ele lembrou que o governo terá neste ano uma redução de receita, com o fim da CPMF, e que, mesmo com as medidas já adotadas para a compensação da perda, haverá um corte de despesas no Orçamento. "Vamos fazer um esforço de arrecadação, dentro das alíquotas e dos tributos já existentes. Mas não há previsão de fazer corte no PAC", afirmou o ministro. Ele admitiu que sempre há a possibilidade de algumas obras não poderem ser executadas e que nesse caso sempre há remanejamento do valor a ser investido.

Bernardo disse que está em conversas com parlamentares sobre os cortes no Orçamento deste ano. É fundamental que sejamos parceiros na definição dos cortes", afirmou. A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, também reforçou a idéia de que o governo não pensa em cortes de recursos do PAC.