O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, admitiu que o ritmo de investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) não está como o governo desejava, mas destacou que já foram pagos neste ano R$ 5 bilhões em investimentos no programa. "O PAC não está no ritmo que gostaríamos, mas estamos com investimentos bem maiores que em anos anteriores", disse Bernardo, ao deixar o 5º Encontro Nacional de Dirigentes de Recursos Humanos, em Brasília.

Ele afirmou que se reuniu com o presidente Lula e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, para fazer um balanço do PAC. Segundo ele, cerca de 90% dos projetos de saneamento e habitação já estão prontos para serem encaminhados.

Bernardo informou que o governo já empenhou quase a totalidade dos recursos previstos para o PAC. Ele admitiu, no entanto, que o governo deverá lidar com um volume elevado de restos a pagar, mas não fez estimativas de quanto.