Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu mesmo tirar Humberto Costa do Ministério da Saúde e Amir Lando da Previdência. Para o lugar de Costa, Lula pretende nomear Ciro Gomes, ministro da Integração Nacional, que abriria vaga para o PMDB. Os nomes mais cotados para a vaga são os do ministro Eunício Oliveira (Comunicações) e da senadora Roseana Sarney, que deixaria o PFL para entrar no PMDB. Mas um novo nome entrou na lista da reforma: o do deputado federal paranaense Paulo Bernardo, que pode ir para a pasta do Planejamento, porque entende de Orçamento, é respeitado pelo ministro Antônio Palocci e o Paraná não tem nenhum ministro.

Assessores do presidente Lula informaram ontem que a reforma deverá ser fechada até quinta-feira. A reunião que começou a desatar o nó da reforma política foi realizada na noite de anteontem, na Granja do Torto, e entrou pela madrugada. ?Não sei a que horas saí de lá, mas era tarde?, disse o presidente do PT, José Genoino, que fez parte do seleto grupo de participantes. Além do presidente Lula, todos os outros que ajudaram a dar um rumo para a reforma ministerial eram ministros de primeira grandeza: Antônio Palocci (Fazenda), José Dirceu (Casa Civil) e Luiz Gushiken (Comunicação de Governo).

Palocci disse a Lula que para o Planejamento quer ter por parceiro o deputado Paulo Bernardo (PT-PR); Dirceu mostrou-se favorável ao deputado Jorge Bittar (PT-RJ). Seja quem for, o substituto do interino Nelson Machado, do PT, que desde novembro reponde pela pasta, será também um petista entrosado com a equipe econômica. Palocci argumentou em favor de Bernardo. Disse que é um dos parlamentares petistas que mais conhecem o Orçamento da União, que tem trânsito livre em todos os partidos e que é excelente negociador. Dirceu fez o mesmo em relação a Bittar. Os dois candidatos já foram relatores da Comissão de Orçamento. Bittar é do Rio de Janeiro, estado que não tem ministros, mas na disputa para a Prefeitura do Rio, no ano passado, ficou em quinto lugar; o Paraná também não tem ministro.

Bernardo não disputou nenhum cargo no ano passado. Quando Lula montou sua equipe ministerial, o nome de Bernardo apareceu entre os prováveis ministros do Planejamento. Mas a escolha contemplou Guido Mantega, hoje presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).