Arquivo / O Estado
Arquivo / O Estado

Palocci: mercado de olho
no futuro do ministro.

São Paulo – A proximidade do final de semana fez o mercado reviver o clima de expectativa pela publicação das revistas semanais. Tudo porque circulou entre analistas e operadores rumores de que uma publicação poderia trazer reportagem com novas denúncias contra o ex-prefeito de Ribeirão Preto e atual ministro da Fazenda, Antônio Palocci. De acordo com alguns agentes, o rumor fala em provas do envolvimento de Palocci com suposto esquema de corrupção na Prefeitura de Ribeirão Preto, cidade governada pelo atual ministro por duas vezes. Os documentos teriam sido entregues à revista por um vereador de oposição ao PT em Ribeirão Preto.

A volta desses boatos fez o mercado financeiro reviver o clima de tensão política. Um operador de uma grande corretora paulista disse que a revista iria concentrar todo o fogo contra Palocci. No momento mais tenso da manhã voltou o rumor, ouvido exatamente há uma semana em meio às denúncias do advogado Rogério Tadeu Buratti, de que Palocci poderia pedir afastamento do cargo de ministro da Fazenda para a apuração das supostas denúncias da revista.

O mesmo boato foi ouvido por agentes da tesouraria de um banco de médio porte sediado em São Paulo. Na instituição observam, contudo, que o clima é menos tenso que há uma semana. "Na sexta-feira passada, só tínhamos as denúncias do Buratti, sem saber que o ministro daria os esclarecimentos feitos no domingo", disse o responsável pela mesa de operações. Nesta semana, o chefe de gabinete de Palocci no Ministério da Fazenda, Juscelino Dourado, foi convocado pela CPI dis Bingos a depor sobre as denúncias contra o ministro, quando prefeito em Ribeirão Preto.