O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a dar uma declaração polêmica contrária a atual legislação de trânsito. Em sua tradicional live no Facebook, que ocorre às quintas-feiras à noite, ele se posicionou favorável ao fim do curso prático em autoescola para tirar a carteira de motorista.

+ Fique esperto! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre futebolentretenimentohoróscopo, nossos blogs exclusivos e os Caçadores de NotíciasVem com a gente!

O chefe do governo revelou que aprendeu a guiar quando ainda era criança, sem a necessidade de um curso. “Eu, com 10 anos de idade, aprendi a dirigir trator na fazenda em Eldorado Paulista. E acho que nem devia ter exame de nada. Parte escrita apenas e ir para prática logo”, disse Bolsonaro quase no fim da transmissão, que durou 33 minutos.

+ Leia mais: Acidente no Contorno Norte deixa dois mortos e bloqueia rodovia nos dois sentidos

Segundo ele, curso prático em autoescola só vai repetir “um monte de coisas que já sabe o que vai acontecer”. Ele sugeriu somente uma prova prática e uma prova escrita para mensurar o grau de conhecimento do candidato. “Seria o suficiente para tirar a carteira de habilitação. Mas vamos deixar isso para um segundo momento.”

Foto: Divulgação/Gazeta do Povo
Foto: Divulgação/Gazeta do Povo

O fim da obrigatoriedade de cursar a autoescola também também é tema de um projeto apresentando recentemente na Câmara dos Deputados. Há países em que a formação do condutor não precisa ser feito num centro especializado

+ Leia ainda: Soldado em estado grave após ser baleada por colega acidentalmente em Curitiba

A fala do presidente fez parte de um contexto no qual elencou diversas ações para baratear o custo da CNH. O fim dos simuladores nas autoescolas é uma delas. “Eu espero que a Câmara não bote a obrigação dos simuladores de novo. Porque tem muito sentido espúrio nisso aí”.

Conforme alegou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, os aparelhos que simulam a direção veicular elevam o preço do processo em 15% ou cerca de R$ 300.

Outra medida do governo, e que consta no Projeto de Lei encaminhado ao Congresso por Bolsonaro, é o aumento de 20 para 40 pontos no limite que suspende a carteira por infrações cometidas no trânsito. De acordo com o presidente, tal mudança ira beneficiar, principalmente, os profissionais que precisam do veículo para trabalhar.

+ Leia também: Na base do ciúmes, ex-esposa quase causa uma tragédia em loja de Curitiba

 

Na live, o mandatário voltou a defender o fim dos radares móveis e dos exames toxicológicos para emissão e renovação nas categorias C, D e E.

E por fim, Bolsonaro pediu para o que o Congresso Nacional flexibilize acabar com a obrigatoriedade de exames médicos em clínicas conveniadas ao Detran. “No projeto nosso você e pode ter esse atestado com o teu irmão, com o teu pai, com o vizinho ou com qualquer médico”, salientou.

Vale lembrar que o projeto do governo prevê ainda a ampliação da validade da CNH de 5 para 10 anos até 65 anos e de 2,5 para 5 anos após essa idade.

+ Leia mais: Mudanças em linhas de ônibus de Curitiba e região começam a valer segunda-feira

Outro intenção é transformar a multa em advertência para quem deixar de utilizar a cadeirinha infantil no carro. “Criaram uma polêmica com isso dizendo que eu tinha afrouxado a lei, mas na verdade eu inclui a punição de três pontos na carteira, que não existia”, pontuou.

Foto: Divulgação/Detran
Foto: Divulgação/Detran

Em alguns países não é necessário a aprendizagem em autoescola para dirigir. Confira como é o processo:

Estados Unidos

– O candidato precisa fazer um teste online e, se aprovado, recebe uma autorização para retirada do livro com regras de trânsito.

– No passo seguinte realiza mais uma avaliação online e na sequência o teste presencial. Os aprovados ganham o direito provisório de dirigir, desde que acompanhados de um maior de 21 anos.

– Após o período de aprendizado (em média de um ano), é possível marcar o teste prático para conquistar a carteira permanente.

– Há estados norte-americanos em que a permissão provisória para dirigir pode ser obtida a partir dos 16 anos.

Japão

– A partir de 18 anos, é possível marcar os exames teórico e prático nos centros de habilitação. A prova teórica tem 50 questões e é índice de acerto precisa ser superior a 90%

– Uma vez aprovado, é emitida a carteira provisória. Depois de um período, o motorista precisará realizar novos exames para ter a habilitação definitiva.

Reino Unido

– Apesar de existir autoescola, não há obrigatoriedade de frequentar um curso para alcançar a licença para dirigir.

– Primeiro se obtém a carteira provisória após a realização de teste teórico via online. Após receber o documento, poderá dirigir desde que acompanhado de alguém maior de 21 anos que possua a habilitação há pelo menos três anos.

– A carteira provisória não permite dirigir em rodovias e é necessário identificar o carro com um adesivo com a a letra “L” (learner, aprendiz na tradução).

– Ao mesmo tempo é possível iniciar o processo para tirar a carteira definitiva. O primeiro passo é realizar a prova teórica. As regras e conceitos podem ser estudados em casa. A agência de normas de motoristas e veículos do Reino Unido também disponibiliza testes para avaliar o conhecimento do motorista.

– Após passar no exame teórico, a pessoa tem até 2 anos para realizar o prático, que pode ser feito no próprio veículo do candidato e, novamente, dispensando a autoescola. Há também teste de visão.

‘Pra se salvar’, militar faz coleção de Fiat 147 em Curitiba! São nove na garagem!