O Brasil aderiu hoje (10) ao Tratado Internacional sobre Recursos Fitogenéticos para a Alimentação e a Agricultura da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), em ato assinado pelo ministro da Agricultura, Marcus Vinícius Pratini de Moraes, em Roma, durante a Cúpula Mundial da Alimentação, promovida pela organização.

Com a adesão, o Brasil terá acesso aos resultados das pesquisas fitogenéticas de outros 34 produtos cultivados pelos demais países que participam do tratado. O Brasil também irá compartilhar com outros 115 países os resultados das pesquisas genéticas feitas sobre mandioca cultivada, desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Pratini de Moraes disse que a participação no Tratado Internacional da FAO é muito importante porque o Brasil possui 25% de todos os genomas vegetais do mundo e manterá o poder sobre essas espécies. Segundo o ministro, a troca de conhecimentos sobre novos cultivares entre os diversos países é essencial para combater a fome no mundo.