O governo decidiu ampliar a linha de financiamento que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) oferece ao governo cubano para compra de alimentos brasileiros.

Até hoje, o programa destinava US$ 90 milhões para diferentes fins. Agora, foi engordado com US$ 110 milhões e passou a ser exclusivo para importação de produtos alimentícios. O anúncio foi feito pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, em Cuba.

De acordo com o ministro, a linha de crédito contará inicialmente com US$ 100 milhões. Quando os recursos se esgotarem, serão disponibilizados outros US$ 100 milhoes. Havia uma expectativa de que fossem assinados acordos de quase US$ 1 bilhão a partir de demandas cubanas, mas as especulações não se confirmaram.

A Petrobras aproveitou a vista do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Cuba para formalizar a assinatura de um acordo-quadro com a Companhia Cubana de Petróleo (Cupet) para a exploração e a produção em Cuba. O acordo também prevê a construção de uma fábrica de lubrificantes no país e futura parceria nas áreas de refino, manutenção de equipamentos,pesquisa e desenvolvimento e recursos humanos.

Dois acordos específicos foram firmados sobre a fábrica de lubrificantes e sobre a cooperação em recursos humanos. Segundo o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, já na próxima semana duas comissões da empresa virão a Cuba discutir os dois temas.