A Secretaria de Assistência Social e Cidadania do Piauí (Sasc) exonerou a direção do Centro Educacional Masculino (CEM), onde Gleison Vieira da Silva, de 17 anos, um dos acusados de estuprar quatro jovens e matar uma delas em Castelo do Piauí, foi assassinado pelos três comparsas.

Os exonerados foram o gerente de internação, Herbert Neves; o diretor de atendimento socioeducacional, Anderly Lopes; e o coordenador do CEM, Marivaldo Viana. O afastamento foi pedido pelo promotor da 2ª Vara da Infância e da Juventude de Teresina Maurício Verdejo, para dar mais liberdade para apurar a morte de Gleison.

O diretor do Centro Educacional de Internação Provisória (Ceip), capitão Anselmo Portela, assumirá interinamente o CEM. No seu lugar ficará o subtenente Emerson Oliveira.

Após a morte de Gleison, os três adolescentes – que assumiram a autoria do crime – voltaram para o Ceip. Agora, cada um ocupa uma cela. Eles estão isolados dos outros jovens, pois estão sendo ameaçados.

Na segunda-feira, 20, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Piauí visitou o CEM e constatou superlotação e falta de infraestrutura. A Sasc anunciou que vai reformar a unidade.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.