A Caixa Econômica começa a pagar a nona e última parcela do auxílio emergencial nesta quinta-feira (10). Recebem primeiro, como nos outros meses, os beneficiários do Bolsa Família. O calendário segue até o dia 23 de dezembro, de acordo com o final do NIS.

LEIA MAIS – À procura de trabalho? Mutirão oferece 1.080 vagas de emprego em Curitiba

Para os demais grupos, como informais e inscritos no CadÚnico, a liberação da nona parcela na poupança digital começa no domingo (13) e vai até dia 29. Nesta fase, ocorre o depósito no Caixa Tem.

Saques e transferências poderão ser feitos entre 19 de dezembro e 27 de janeiro de 2021. O auxílio emergencial começou a ser pago em abril como ajuda no enfrentamento da crise da covid-19.

As cinco primeiras parcelas foram de R$ 600 e, as quatro últimas, chamadas de extensão, são de R$ 300. Mães chefes de família têm direito à cota dupla (R$ 1.200 e R$ 600).

Datas de pagamento

As datas de pagamentos dos últimos lotes são as mesmas para os beneficiários nascidos no mesmo mês. As parcelas que eles irão receber, no entanto, variam em relação à ordem numérica, quantidade e valor.

LEIA AINDA – Tá nem aí pra covid-19 e coronavírus? Então prepare o bolso (ou use máscara)

Essa variação ocorre devido à data de solicitação e ao tempo que o governo demorou para analisar e revisar os pedidos dos cidadãos. Os primeiros aprovados, em abril, recebem agora a nona parcela. Quem começou a receber em maio, terá apenas até a oitava parcela, e assim por diante.

Os beneficiários que passaram a receber o auxílio em outubro e novembro, por outro lado, recebem só até a quinta parcela, no valor de R$ 600 cada. Apesar de ganharem um valor maior no último lote, já que os pagamentos serão quitados de uma vez, eles ficarão sem as quatro parcelas extras de R$ 300.

Beneficiários ainda podem tentar receber

Quem teve o auxílio negado, bloqueado ou cancelado terá novos prazos de contestação, feita pelo site da Dataprev (https://consultaauxilio.dataprev.gov.br/consulta/#/).

O primeiro caso é de quem teve a extensão de R$ 300 cancelada. Para esse público, as contestações poderão ser feitas até dia 18.

A segunda situação é quem teve o auxílio de R$ 600 cancelado por irregularidades. O último caso é para quem foi considerado inelegível para a extensão do auxílio de R$ 300.