O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31) o projeto de lei que cria o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O objetivo do programa é ampliar a oferta de cursos técnicos e profissionalizantes no País.

Foi aprovada na Câmara uma emenda apresentada pelo DEM que reserva 30% das bolsas a serem distribuídas pelo programa para Estados das regiões Norte e Nordeste. O projeto segue para votação no Senado Federal.

O Pronatec é uma promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff. O programa prevê a ampliação de vagas e expansão da rede federal de educação profissional e tecnológica, a oferta de bolsas para estudantes de cursos em instituições privadas e o acesso ao financiamento estudantil por meio do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies).

O público-alvo do programa são estudantes do ensino médio da rede pública, trabalhadores e beneficiários de programas de transferência de renda, como o Bolsa Família.

A Câmara incluiu entre os possíveis beneficiários agricultores familiares, silvicultores, extrativistas, pescadores, povos indígenas e quilombolas. Os deputados incluíram ainda no texto uma emenda para estimular a abertura de vagas para pessoas com deficiência, dando prioridade a elas no preenchimento das bolsas.

A votação foi fruto de um acordo entre governo e oposição, apesar de algumas decisões, como a reserva de 30% vagas para as regiões Norte e Nordeste, terem provocado debate no plenário. O governo foi contra a medida por se opor a criar reservas ao programa, mas a maioria do plenário aprovou a proposta do DEM.