A Câmara aprovou hoje medida provisória que libera R$ 40 milhões para a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz, destruída por um incêndio em fevereiro que provocou a morte de dois militares da Marinha.

A MP libera os recursos em um crédito extraordinário para o Ministério da Defesa. Agora, o texto segue para análise do Senado. O texto encaminhado pelo Executivo não passou por mudanças.

Esses recursos foram destinados para a primeira fase da reconstrução. Isso inclui a limpeza do sítio da estação (que se converteu em ameaça de contaminação do frágil ecossistema), o uso do navio Almirante Maximiano como estação de pesquisas (ele precisa receber laboratórios adicionais), acampamentos e o uso dos módulos de química e meteorologia de Ferraz, que não foram atingidos pelo fogo. Os custos não incluem a reposição de equipamentos.

O deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP) criticou a demora na reconstrução da base. Ele lembrou que os recursos foram liberados em março, mas até agora apenas R$ 163 mil foram utilizados. Ele informou ainda que o Siafi registra o empenho de apenas R$ 2,38 milhões do total de recursos.

“É uma inoperância do governo, uma falta de agilidade. O inverno vai começar agora e todas as operações terão de ser canceladas”, disse.