A Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados discutiu hoje a lei 9656/98, que trata dos planos de saúde de autogestão. Segundo o representante dos planos de autogestão das universidades federais,
Cid Veloso, esse segmento cresceu muito nos últimos anos, mas ainda tem muito a melhorar. Os principais pontos levantados na audiência foram a ampliação dos seus serviços de cobertura e revisão da questão do ressarcimento ao Sistema Único de Saúde (SUS).

São caracterizados como autogestão os sistemas de assistência à saúde destinados exclusivamente a empregados ativos, aposentados, pensionistas e ex-empregados, bem como seus respectivos grupos familiares, e ainda a participantes e dependentes de associações, sindicatos ou entidades de classes profissionais. Esse serviço não tem finalidade lucrativa e é concebido segundo as características e necessidades dos usuários.
(Agência Brasil)