Cidades do interior de São Paulo, como Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Americana, enfrentam na quinta-feira, 20, manifestação contra os preços das tarifas de ônibus em apoio ao Movimento Passe Livre (MPL).

 

Em Campinas, a passeata, que está marcada para sair às 17h do Largo do Rosário, deve contar ainda com a participação de movimentos contra a proposta de “cura gay” aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Mais de 60 mil pessoas confirmaram presença na manifestação via redes sociais. O grupo deve sair da Avenida Francisco Glicério, principal corredor comercial do centro, e seguir até a prefeitura. Eles também planejam seguir até a Avenida Norte-Sul, espécie de Avenida Paulista de Campinas.

A Polícia Militar divulgou que acompanhará as manifestações e fará o monitoramento também por meio de câmeras de segurança da prefeitura.

Em Valinhos, na terça-feira, 18, um protesto contra o aumento da passagem terminou em confusão no terminal rodoviário. Cerca de 600 pessoas fizeram um protesto na Câmara dos Vereadores e depois seguiu até a rodoviária, onde um funcionário tentou impedir a entrada dos manifestantes no estacionamento dos ônibus.

 

Os guardas municipais reagiram com spray de pimenta contra os manifestantes, que jogaram coquetéis molotov no pátio da rodoviária. Uma guarita de segurança e um carro da GM tiveram os vidros quebrados. O terminal ficou fechado por meia hora.

Em Piracicaba, um grupo de manifestantes protestou na noite da terça, após um encontro com o prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) não ocorrer. A Guarda Municipal informou que uma viatura foi danificada.

Em Bauru, Itapetininga e Votuporanga também ocorreram protestos nesta segunda semana de manifestações pelo País.