O nível do sistema Cantareira, considerado o principal manancial de abastecimento de água da capital e da região metropolitana de São Paulo, subiu pelo quarto dia consecutivo, de acordo com boletim diário divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Hoje, o índice tradicionalmente divulgado pela Sabesp indica que o sistema opera com 16,7% de sua capacidade, ante nível de 16,6% registrado ontem – o número considera duas cotas de volume morto, adicionadas no ano passado.

No cálculo negativo do sistema, que passou a ser divulgado após decisão judicial, o Cantareira avançou 0,1 ponto porcentual (pp), atingindo -12,6%. Pelo terceiro índice, o nível do Cantareira também aumentou 0,1 pp, chegando a 12,9%.

Nas últimas 24 horas, a Sabesp verificou o acúmulo de 0,2 milímetro (mm) de chuva no manancial. Desde o início do mês, a precipitação acumulada na região chega a 40,7 mm – a média histórica para outubro é de 128,5 mm.

O volume de água armazenada no sistema Alto Tietê também avançou pelo quarto dia seguido, atingindo 15,5% neste domingo ante 15,4% ontem. Esse índice leva em conta um volume morto, acrescentado no ano passado.

Outros dois mananciais também registraram aumento no nível dos reservatórios. No sistema Rio Grande, a capacidade armazenada passou de 86% neste sábado para 86,3% hoje, enquanto no sistema Rio Claro o nível avançou 0,4 pp, para 56,4%.

Já o Guarapiranga, sistema que atualmente fornece água para mais pessoas na região metropolitana (5,8 milhões), opera hoje com 78,8% de sua capacidade, mesmo patamar verificado ontem. O nível do sistema Alto Cotia, por sua vez, recuou 0,2 pp, passando de 61,5% ontem para 61,3% hoje, de acordo com a Sabesp.