Por meio de um telefone equipado com viva-voz no escritório de seu defensor, o advogado Ademar Gomes, o pagodeiro Evandro Gomes Correia Filho, de 35 anos, foragido da polícia, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa na quarta-feira (17). Ele se disse inocente dos crimes atribuídos a ele pela polícia. E que somente se arrepende de não ter socorrido o próprio filho. “Fiquei desesperado, traumatizado e com medo de ser linchado. Não quis ver o corpinho do meu filho estatelado no chão”, disse.

O músico é acusado de ter provocado a morte da ex-mulher, Andréia Cristina Bezerra Nóbrega, de 31 anos, e da tentativa de homicídio do filho do casal, Lucas, de seis anos. Segundo depoimento do menino, a mãe teria se atirado da janela do apartamento em que moravam, em Guarulhos, na Grande São Paulo, depois que Evandro cortou a mangueira do botijão de gás e partiu para cima dele e da mãe com uma faca.

Na entrevista, no entanto, Evandro atribuiu toda a culpa pela morte da ex-mulher a ela mesma. “Ela já havia tentado se matar outras vezes”, alegou. Disse ainda que foi Andréia quem cortou a mangueira de gás do botijão com o objetivo de matá-lo e o filho e que foi ela quem pulou do apartamento com o menino no colo com o objetivo de incriminá-lo. As informações são do Jornal da Tarde.