São Paulo – O juiz Cassiano Ricardo Zorzi da Rocha decretou a prisão temporária por 15 dias, prorrogáveis por mais 15, de Gil Greco Rugai, de 20 anos, filho de Luiz Carlos Rugai. Ele estava intimado a depor no DHPP, sobre o assassinato do pai e da mulher do pai. Rugai não compareceu ao DHPP, depois de estar intimado, pela terceira vez seguida. O delegado Mauro Argachoff, do DHPP, que pediu a prisão, afirma ter a convicção de que Rugai esteja envolvido no crime. Ele pediu a prisão porque Rugai não compareceu ao DHPP nas vezes em que foi intimado. O status de Gil Rugai é o de procurado pela polícia. O empresário Luiz Carlos Rugai e a mulher, Alessandra, foram mortos na noite de domingo na casa em que moravam em Perdizes. Os indícios contra Gil Rugai – e a polícia afirma que se tratam de indícios, não de provas – estão sob sigilo. A polícia acredita que Rugai foi rendido antes de ser morto. O corpo foi encontrado deitado e de bruços. A porta da casa foi arrombada. Já Alessandra possivelmente tentou se proteger ao avistar o assassino quando recebeu os primeiros tiros. Uma segunda linha de investigação diz respeito a um desfalque de R$ 100 mil na produtora de vídeo de Rugai.