O processo de cassação do mandato do deputado federal Marcos Antônio Ramos da Hora (PRB-PE) por infidelidade partidária poderá reconduzir o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP) à Casa, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 2005, Cavalcanti renunciou à presidência sob acusação de cobrar propina do empresário Sebastião Buani, dono de um restaurante na Câmara.

A petição contra Da Hora foi ajuizada no TSE no último dia 31. Nela, o suplente de deputado federal Fernando Antônio Rodovalho (PSC-PE) tenta reaver o cargo de Da Hora, que após ser eleito pelo PSC teria passado por outras duas legendas em menos de seis meses. De acordo com o TSE, Cavalcanti é o primeiro suplente da coligação que elegeu Marcos da Hora. O ministro Cezar Peluso será o relator do caso. O julgamento poderá esclarecer se o mandato pertence ao partido ou à coligação.