Ao menos 1.073 alunos de escolas municipais da região do Caju, na zona norte do Rio, estão sem aulas na manhã desta quinta-feira, 24, em razão da morte do menino Herinaldo Vinicius da Santana, 11 anos, ocorrida ontem. Ele foi atingido, por volta das 16 horas, durante um tiroteio entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Caju e traficantes da comunidade Parque Alegria, também na zona norte do Rio. Os moradores, em protesto, fecharam o trânsito na Linha Vermelha, uma das principais vias da cidade.

A Secretaria Municipal de Educação informou que uma escola, duas creches e um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) estão sem funcionar, mas não há informações sobre o turno da tarde.

O menino chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré, mas não resistiu aos ferimentos e morreu trinta minutos depois. Segundo moradores postaram nas redes sociais, Herinaldo brincava pelas vielas da comunidade quando foi atingido. Foram os próprios vizinhos que socorreram o menino em seus carros. O corpo de Herinaldo ainda está no Instituto Médico-Legal.

Por meio de nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as circunstâncias da morte da criança. A Polícia Civil investiga o caso e policiais da UPP Caju que patrulhavam o local onde o menor foi baleado serão afastados do serviço nas ruas.

Há cerca de duas semanas, o jovem Christian Soares Andrade, de 13 anos, morreu após ser atingido por tiros durante uma operação policial em Manguinhos, também na zona norte. Agentes da Coordenadoria de Operações Especiais (Core) da Polícia Civil e da Divisão de Homicídios, com apoio de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) buscavam suspeitos de assassinar o policial militar Clayton Alves Fagner Dias. Em abril, durante um tiroteio no Complexo do Alemão, morreu o menino Eduardo de Jesus Ferreira, 10 anos.