O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP) afirmou que manterá a proposta de reforma política na pauta do plenário na próxima semana, mesmo depois da decisão do Conselho Político, integrado por partidos da base aliada, de adiar a votação para agosto. Chinaglia disse que o acordo de votação do projeto de reforma agora em julho foi feito em reunião de líderes da base e da oposição, argumentou que a votação já iniciou e que se o grupo de líderes quiser enterrar a reforma, que diga isso no plenário.

"Se prevalecer a idéia de que não tem mais nada para fazer, isso terá de ser dito no plenário. Se a base aliada decidir que não vai votar, vai ter que apresentar requerimento na sessão", disse Chinaglia. Ele anunciou que vai reunir os líderes novamente na próxima terça-feira para tratar da reforma política. O presidente da Câmara disse que cabe a ele elaborar a pauta de votações e que ele tem o dever de manter o projeto de reforma política na pauta.