Brasília – O comerciante chinês Law Kin Chong e seu advogado Lindolfo Sarlo foram presos ontem pela Polícia Federal, em São Paulo, por tentar subornar o presidente da CPI da Pirataria, deputado Luiz Antônio Medeiros (PL-SP), para que este não incluísse o nome de Chong no relatório da CPI e não determinasse a quebra de seu sigilo bancário e fiscal. O flagrante foi preparado pelo deputado, em acordo com a Polícia Federal. Chong foi preso preventivamente com base num mandado expedido pela Sexta Vara Federal de São Paulo por corrução ativa, tráfico de influência, formação de quadrilha e por impedimento de funcionamento de CPI. Medeiros havia combinado com o advogado de Chong o pagamento de US$ 1,5 milhão para não citar o chinês no relatório da CPI.