O fechamento das escolas e as dificuldades de acesso ao ensino remoto tiraram da escola 5,1 milhões de crianças e adolescentes brasileiros. Os resultados são de uma pesquisa divulgada pelo Unicef em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec). As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

LEIA AINDA – Paraná vai até Brasília pra angariar vacina pra professores e funcionários da educação

A maior parte dos estudantes não matriculados ou sem acesso ao ensino a distância tinha idade entre 6 a 10 anos de idade. Entre adolescentes de 15 a 17 anos, a falta de acesso à escola foi de 17%. O estudo destaca que, com a permanência do Brasil na pandemia, é necessário investir imediatamente em políticas de conectividade para as escolas e acesso à internet para estudantes e professores.

LEIA MAIS – Alfabetização e linguagem das crianças são afetados no lockdown, revela pesquisa

Outro ponto defendido pela Unicef no estudo, é que as escolas sejam reabertas com urgência, desde que cumpridas as medidas de segurança. “O Brasil vinha avançando, aumentando o acesso à educação. Com a pandemia, de repente vemos uma volta para trás”, disse a representante da Unicef no Brasil, Florence Bauer.