São Paulo  – Diante da remota chance de uma CPI do caso Celso Daniel – assunto que incomoda e é repudiado pelo PT, partido do prefeito de Santo André seqüestrado e fuzilado em janeiro de 2002 -, o PSDB busca alternativa dentro de uma outra CPI, que já está em curso para investigar o Banestado, escândalo de US$ 30 bilhões remetidos ilegalmente para paraísos fiscais.

Por meio de requerimento protocolado junto à presidência da comissão, o deputado Eduardo Paes (PSDB-RJ) pediu a convocação dos empresários Sérgio Gomes da Silva, o Chefe ou Sombra, e Ronan Maria Pinto, acusados pelo Ministério Público de fazerem parte de suposto esquema de corrupção que teria tomado conta de setores da gestão petista em Santo André, no período entre 1997 e 2001.

Apontado como mandante da morte do prefeito, Gomes está na cadeia desde dezembro. Hoje, o Superior Tribunal de Justiça vai julgar habeas corpus por meio do qual o criminalista Roberto Podval pede revogação da medida que mantém o empresário aprisionado. “O Sérgio é inocente. Não há nada que o incrimine no caso Celso Daniel”, afirma Podval.