Em mais um dia da "Operação Cerco Amplo", o Complexo do Alemão amanheceu sob intenso tiroteio entre agentes da Força Nacional de Segurança (FNS) e traficantes da Favela da Grota, em Ramos. As ruas permaneceram desertas durante todo o dia, mais escolas fecharam e o comércio funcionou parcialmente nas ruas de acesso ao conjunto de favelas. Na madrugada desta terça-feira (19), soldados do 16º BPM que patrulham os acessos foram atacados a tiros pelos bandidos na Favela da Fazendinha, em Inhaúma. De acordo com a polícia, ninguém ficou ferido.

Após o intenso tiroteio de ontem à tarde na Favela da Fazendinha no horário de saída dos alunos, três escolas suspenderam as aulas. Os 2.261 alunos das escolas municipais Professor Affonso Varzea, Professora Vera Saback Sampaio, ambas no acesso da Fazendinha e Professor Mourão Filho, localizada na entrada da Favela Nova Brasília, ficaram em casa.

Pela manhã, professores e diretores se reuniram em busca de uma solução. "Queríamos atender os alunos provisoriamente em um local que não seja tão perigoso. Nós temos medo, porque temos família e filhos, mas nossa preocupação é que o ano letivo não seja perdido pelos alunos", declarou a professora Patrícia Campos antes da reunião.

Porém, à tarde, a Secretaria Municipal de Educação informou que as aulas serão retomadas amanhã, caso não haja confrontos. Ao contrário das várias escolas que transferiram 4 mil alunos para o Ciep Gregório Bezerra, na Penha, os três colégios que fecharam nesta terça-feira estavam funcionando normalmente. As demais escolas suspenderam as aulas no dia 2 de maio quando começaram as operações da Polícia Militar no conjunto de favelas.