Os policiais militares acusados de sequestrar e tentar matar uma vendedora ambulante em 2009 no Rio de Janeiro foram condenados pela Justiça Militar do Estado. O cabo Marcelo Machado Carneiro deverá cumprir pena de 15 anos, sete meses e seis dias de prisão, e o soldado Rodrigo Nogueira Batista, de 18 anos. A juíza Ana Paula Monte Figueiredo condenou os dois por furto qualificado, extorsão mediante sequestro e atentado violento ao pudor.

Em 27 de novembro de 2009, os militares, em serviço e fardados, abordaram Helena Cristina Moreira, de 24 anos, próximo à estação Estácio do metrô. Eles furtaram R$ 1.750 da vítima e exigiram R$ 20 mil para liberá-la, alegando que a vendedora era esposa de um traficante. Durante mais de uma hora, os militares mantiveram Helena como refém.

Depois de passar por uma revista íntima irregular, já que não havia a presença de uma policial, a vítima foi baleada no rosto e jogada de uma altura de nove metros, na Estrada das Paineiras. Ela sobreviveu e conseguiu pedir socorro a motoristas que passavam pelo local. Segundo a juíza, a ação dos policiais contribuiu para “macular ainda mais a já manchada imagem da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, que a cada dia perde a confiança da população carioca e fluminense”.

Os policiais também respondem a processo na Justiça comum. Em abril deste ano, o 2º Tribunal do Júri da Capital condenou o soldado Batista a 12 anos e oito meses de prisão pela tentativa de homicídio triplamente qualificado. Já o processo contra o cabo Carneiro foi desmembrado e será julgado pelo 2º Tribunal do Júri, em data ainda indefinida.