O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), e dois dos três relatores do processo contra o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), estão indo neste momento ao encontro do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Paulo Lacerda, para lhe pedir o aprofundamento da perícia parcial realizada pela PF nos documentos apresentados ao Conselho por Calheiros.

Com a apresentação dos documentos, Calheiros, acusado de pagar despesas pessoais com dinheiro de um lobista de uma empreiteira, pretendia comprovar que possui recursos próprios, mas a perícia feita pela PF nos papéis deixou muitas dúvidas sobre a declaração do senador de que faturou R$1,9 milhão nos últimos quatro anos com venda de gado das fazendas que possui no interior de Alagoas.

Ao final da reunião do Conselho de Ética, Quintanilha foi para a sede da PF acompanhado dos relatores Marisa Serrano (PSDB-MS) e Renato Casagrande (PSB-ES). O terceiro relator, senador Almeida Lima (PMDB-SE), não está em Brasília. Ele informou ter ido a João Pessoa para tratamento médico. Para representá-lo na reunião com Paulo Lacerda, Almeida Lima designou seu chefe da gabinete, Luiz Fernando Leite.