A Força Aérea Brasileira (FAB) enviou na semana passada inquérito policial militar ao Ministério Público Militar sobre o motim dos controladores de vôo realizados em março. A Aeronáutica não confirma o teor do relatório, que indiciaria cinco ou seis controladores envolvidos no episódio, nem os nomes dos indiciados. Entre os possíveis indiciados estaria o sargento Wellington Rodrigues, que, por ter dado entrevista criticando a FAB, cumpre prisão administrativa desde sexta-feira.

O ministério público militar poderá acatar o pedido da Força e solicitar a abertura de processo na Justiça Militar. Se forem condenados, os indiciados serão expulsos da Aeronáutica e cumprir pena de até oito anos de prisão. Mas se a procuradoria militar decidir arquivar o pedido, o processo não é aberto. A reportagem tentou contato com a procuradora-geral da Justiça Militar, Maria Ester Henriques Tavares, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.