Rio – A base de dados do Sistema Nacional de Cadastramento de Veículos do Departamento Nacional de Transito (Denatran) está vulnerável, permitindo que carros sem um pré-cadastro sejam cadastrados nos Detrans de todo o país de forma fraudulenta . A denúncia foi feita nesta quinta-feira pelo corregedor-geral do Detran do Rio de Janeiro, Carlos Fogaça. Ele encaminou ao Ministério Público Estadual um relatório sobre as investigações do envolvimento de 14 funcionários do órgao de fraude contra o sistema de emplacamento de veículos no estado.

Segundo o corregedor, as fraudes foram constatadas em pelo menos 20 veículos importados, de procedência provavelmente criminosa, com donos ou endereços fictícios, emplacados na Terceira Ciretran, na cidade serrana de Friburgo.

Carlos Fogaça acredita que a ação no Detran revela uma das pontas de um esquema internacional do crime organizado, capaz de esquentar carros roubados em países do Mercosul.

O presidente do Detran/Rio. Hugo Leal, determinou a imediata substituição de toda a equipe da Ciretran de Friburgo, depois da constataçao que um dos veículos foi roubado no Paraguai, no dia 15 de Novembro de 2002, e foi emplacado no Detran do Rio de Janeiro quatro dias depois.

Além do afastamento dos funcionários, foi determinada a intervençao do órgão na cidade serrana.

As investigaçoes estao sendo feitas também nos municipios de Itaboraí e Rio Bonito .

O sistema no Rio já foi fechado para se evitar novas fraudes e o fato já foi comunicado ao Denatran.