Brasília – A Câmara dos Deputados autorizou a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o tráfico de órgãos humanos no País. O ato de criação da comissão foi lido ontem em plenário. Agora, falta os partidos indicarem os integrantes da comissão. Depois, ela já poderá ser instalada. O pedido de CPI foi feito pelo deputado Neucimar Fraga (PL-ES), a partir do trabalho de um grupo de parlamentares da Comissão Permanente de Segurança Pública que investigou denúncias de tráfico de órgãos. “Uma quadrilha internacional de tráfico de órgãos humanos está atuando no Brasil. Com tantas denúncias, a população não acredita mais na política de doação de órgãos para transplante”, diz Fraga. Até ontem, apenas um partido, o PSB, havia indicado representantes para a CPI, que terá 24 parlamentares como titulares e outros 24 suplentes. Assim que todos os nomes forem repassados pelas lideranças dos partidos, a Mesa Diretora da Câmara decidirá a data de instalação. Neucimar Fraga diz que a principal meta da CPI será fazer com que seja criada uma nova política nacional de transplante de órgãos. Ele diz ter denúncias de esquemas montados para burlar as filas do transplante. A comissão também vai investigar denúncias de venda de órgãos. São situações em que pessoas em dificuldade financeira vendem órgãos para outras que têm dinheiro e necessitam de transplante. É o caso do homem que revelou em Recife ter vendido seu rim por R$ 40 mil em novembro do ano passado. Ele contou que fez exames na capital pernambucana e, depois, foi levado para Durban, na África do Sul, para ser operado. O comprador do órgão seria um iraquiano.