A médica Cristiane Cardoso Marcenal, mãe da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, de 5 anos, que morreu no mês passado, disse hoje ter ficado revoltada com a informação de que uma babá que cuidou da filha na casa do pai, seu ex-marido, disse em depoimento que a menina sofria maus tratos.

Policiais teriam contato para ela essa versão. Laudo do Instituto Médico Legal (IML) revelou que Joanna morreu de meningite, mas não explicou as marcas de queimadura que ela tinha nas nádegas.

A criança estava sob a guarda do pai, o técnico judiciário André Marins, quando foi levada, em julho, ao Hospital Rio Mar, na Barra da Tijuca, e atendida pelo falso médico Alex Sandro Cunha, um estudante de medicina que a liberou para voltar para casa, mesmo desacordada.

Depois disso, ela foi levada a outro hospital, onde passou um mês em coma. Quando foi atendida já na primeira unidade, ela apresentava hematomas nas pernas e nádegas, segundo a polícia. O pai sempre negou ter mau tratado Joanna.