Lula: “O jogo começa agora.
E espero ganhar a eleição”.

São Paulo

(AE) – O candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou ontem, na abertura de sua campanha eleitoral, que as dificuldades enfrentadas pela aliança PT/PL nos Estados de Alagoas e Minas Gerais e o apoio do PL a Paulo Maluf em, em São Paulo, não afetarão “em nenhum milímetro” a candidatura da chapa Lula/José Alencar (PL/MG). No caso de Alagoas, a aliança abalou todo o partido no estado, com a renúncia da candidatura da senadora Heloisa Helena, ao governo do. Houve ainda rejeições em Santa Catarina. Na avaliação do petista, se há problemas em Minas Gerais, os próprios mineiros devem ter sabedoria para resolvê-los. “Não dá para transferir problemas regionais para a campanha nacional.”, disse.

O candidato do PT reiterou que o rompimento da aliança PT/PL para a Assembléia Legislativa mineira não resultará em perda de votos para sua candidatura no Estado, ao qual pertence o vice de Lula, o empresário e senador José Alencar. “Temos os votos da nossa militância e dos empresários, além do apoio do governador Itamar Franco. Não haverá abalo diante da grandeza da campanha”, reiterou. Sobre o empate técnico entre os presidenciáveis José Serra (PSDB) e Ciro Gomes (PPS) apontado pela última pesquisa Vox Populi, o candidato petista disse que não comenta pesquisas. “O jogo começa agora, e espero que no dia do meu aniversário eu ganhe a eleição”, declarou.

Em Alagoas, a dificuldade em fechar a aliança com o PL levou à desistência da candidatura da senadora Heloísa Helena ao governo do Estado. Alencar disse que tem grande amizade pela senadora petista e que lamenta sua desistência. Ele atribuiu as dificuldades da aliança à verticalização partidária, imposta pelo Tribunal Superior Eleitoral a partir das eleições deste ano. O senador mineiro aposta, no entanto, na manutenção das negociações para que se resolva o impasse para o legislativo em seu Estado.

Alencar afirmou que o único palanque no qual vai subir é o de Lula, mesmo que seu partido apoie candidatos de outros partidos nas eleições estaduais, como é o caso de São Paulo, onde o PL apóia Paulo Maluf (PPB). “Não tenho de estar em nenhum outro palanque, apesar de respeitar outros partidos, porque minha disputa é federal”. Lula e Alencar abriram ontem, com uma caminhada de 40 minutos pelo centro de São Paulo, a campanha de rua do PT. Também acompanharam os candidatos ao governo federal os deputados José Genoíno, candidato ao Palácio dos Bandeirantes, e Aloízio Mercadante, que concorre a uma das vagas ao Senado por São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, cerca de 300 pessoas acompanharam o evento, mas a organização disse acreditar que o número foi de aproximadamente 1500. Outros comícios aconteceram simultaneamente em outros lugares da cidade, e em todos os estados brasileiros, no início da campanha do PT .