Brasília (AE) – Os presidentes da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), vão se reunir com o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), e o relator da Comissão, deputado José Mentor (PT-SP), para discutir o fim dos trabalhos da CPI e tentar pôr um ponto final nas brigas internas sobre o vazamento à imprensa de documentos entregues pelas autoridades americanas à Comissão. Há suspeitas de que os dados da CPI do Banestado tenham sido usados para fazer chantagem.

“Vamos botar um ponto final nessa desconfiança que impera na sociedade sobre a CPI e, ao mesmo tempo, discutir com o presidente e com o relator como restabelecer a normalidade da comissão e também discutir um rito derradeiro para a CPI”, afirmou ontem João Paulo. Ele disse ainda que concorda com todas as declarações dadas sobre a CPI pelo presidente Sarney.

No início desta semana, o presidente Sarney fez questão de lembrar que o Congresso Nacional não foi a única instituição brasileira a ter acesso aos documentos entregues pelas autoridades americanas à CPI, que apura irregularidades no envio de recursos para o exterior pelo Banestado. Ao dividir a responsabilidade dos documentos com outras instituições, Sarney tentou fazer com que os parlamentares deixem de ser os principais suspeitos pelo vazamento das informações da CPI.