Cinco dos seis integrantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio votaram por tornar os ex-governadores Anthony e Rosinha Garotinho inelegíveis por três anos, num processo que apura promessa de pavimentação de ruas na cidade de Sapucaia em troca de votos. Também deve ser cassado o mandato do deputado Geraldo Pudim (PMDB), o segundo mais votado para a Câmara no Rio, e declarado inelegível o presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Henrique Alberto dos Santos Ribeiro.

O resultado não foi anunciado porque o desembargador Rudi Loewenkron não deu seu voto e pediu vistas do processo. Com isso o anúncio fica para a próxima sessão do TRE, na quinta-feira, se nenhum dos que já votaram voltar atrás.

O relator do processo, juiz Marcio Mendes Costa, considerou que houve reunião política na fazenda do médico José Carlos Araújo em Sapucaia, em 12 de setembro de 2006, no período eleitoral, e o ex-governador teria barganhado votos para seu candidato a deputado. De acordo com gravações de uma sessão da Câmara Municipal de Sapucaia, Garotinho teria prometido ?1.500 metros de asfalto, uma rua de seis metros de largura, com meio fio e saneamento básico? em troca de apoio para Pudim.

Logo depois da sessão, Garotinho contestou em nota a decisão do TRE e avisou que vai recorrer assim que se tornar oficial. Ele garantiu que as obras realizadas em Sapucaia não tiveram interesse eleitoral. ?É mais um ato de injustiça. Temos fé que vamos recorrer e vencer para que possa prevalecer a Justiça?, disse. Pudim e Ribeiro não foram localizados.