O Departamento de Proteção e Defesa ao Consumidor (DPDC) formalizou na segunda-feira em um processo administrativo o acompanhamento que vinha fazendo desde a semana passada do recall de brinquedos anunciado pela companhia Mattel. O órgão investigará se a empresa sabia, ao colocar os produtos no mercado, do risco à saúde e à segurança que os brinquedos representam ao consumidor.

A Mattel poderá ser multada em até R$ 3 milhões caso a investigação do DPDC conclua que houve prejuízos aos consumidores. A empresa tem 15 dias, contados da notificação, para apresentar defesa ao DPDC. De acordo com o DPDC, não há prazo para a conclusão do processo.

Em reunião com o diretor do DPDC, Ricardo Morishita, na semana passada, a Mattel se comprometeu a reduzir a burocracia para troca ou reembolso em dinheiro dos bonecos Barbie e Batmam com íman aparente. A companhia acertou ainda com o DPDC que ampliaria a divulgação do recall nos veículos de comunicação e estudaria a possibilidade de utilizar outras formas de comunicação como e-mail ou cartas aos consumidores.

A Mattel anunciou que recolherá 850 mil brinquedos da linha Polly com ímã, pás do conjunto Barbie e Tanner e figuras magnéticas do Batman. Segundo a Mattel, o recall é necessário porque os produtos possuem ímãs descoláveis que podem ser engolidos pelas crianças, causando lesões graves, como perfurações de órgãos. Os consumidores brasileiros podem entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800-77-01207 e por e-mail (recallbrasil@mattel.com).