A Justiça Militar do Rio de Janeiro vai ouvir hoje, a partir das 12 horas, as testemunhas de defesa dos dois policiais militares acusados de cobrar R$ 10 mil para liberar o motorista Rafael Bussamra, que atropelou o músico Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, no dia 20 de julho, no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul da cidade. Os policiais Marcelo José Leal Martins e Marcelo de Souza Bigon são acusados de corrupção passiva, falsidade ideológica e de descumprimento de missão.

Serão ouvidos Guilherme Bussamra, irmão de Rafael Bussamra; o proprietário da oficina que teria consertado o veículo dirigido por Rafael; André Liberal, carona de um dos carros que estava na túnel no dia do atropelamento; e dois PMs, responsáveis pela supervisão dos acusados no dia dos fatos.

Ao serem interrogados no dia 26 de agosto, os PMs negaram os fatos narrados na denúncia. No dia 9 de setembro, Rafael e Roberto Bussamra, testemunhas de acusação no processo, confirmaram em juízo as negociações para o pagamento de R$ 10 mil aos réus. No entanto os policiais receberam apenas R$ 1 mil. Os PMs estão sendo julgados por um Conselho Permanente de Justiça da Polícia Militar, presidido pela juíza Ana Paula Figueiredo.